sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

MVK Spyder 270: custom chinesa

-----------------------------------------------------
A chinesa Regal-Raptor traz para o Brasil a nova MVK Spyder, uma custom de aparência artesanal, comprida (2,5 mts) e com distância entre-eixos um tanto avantajada (1,88 mts), mas com um conjunto que poderá agradar a muita gente. A vantagem nessas medidas se dá em trechos com bom asfalto e estradas sem muitas sinuosidades. Em trechos urbanos, principalmente, onde as ruas são mais esburacadas e/ou exigem manobras em baixa velocidade, o motociclista poderá, contudo, enfrentar alguns desconfortos. Mas, isso é uma característica das choppers, e ninguém tira isso.
----------------------------------------------------
Devido ao seu comprimento e altura, a Spyder é uma ótima moto nas estradas. Já em perímetros urbanos, traz um certo desconforto.



Quando o motor é ligado, seus dois escapamentos laterais emitem um som grave, que faz lembrar as motos de maior cilindrada e potência. Devido ao estilo T-Bar de seu guidão, além dos comandos de câmbio e freio avançados, os braços e as pernas do piloto ficam bem à frente, gerando conforto e segurança na pilotagem. Só se deve ficar esperto nas curvas muito fechadas, onde os pedais podem raspar no asfalto. Já no trânsito urbano, piso irregular e corredores apertados, como dito acima, a pilotagem desta moto fica muito prejudicada.
------------------------------------------------------------
Detalhe: o guidão T-Bar lembra o estilo da Honda Shadow 600.





Motor e Ciclística

Equipada com motor 4-T de dois cilindros em linha, a MVK Spyder possui comando simples no cabeçote (OHC), gerando 20,8 cv a 8.000 rpm e torque de 1,85 kgmf a 6.500 rpm. Em cilindradas, ela possui 270 cm³ para levar seus 180 kg a seco. Segundo a crítica,  faltou a essa moto um pouco mais de vigor ao seu propulsor para trabalhar em médias e altas rotações. Falando em pontos negativos, há também um outro problema, além do baixo desempenho: a vibração gerada pelo motor.
---------------------------------------------------------
A MVK Spyder é equipada com moto 2 cilindros em V, com 270 cc. Visual "chopper total".



Contudo, ela vem agraciada com garfo telescópico de 120 mm de curso e dois discos de freio de 240 mm de diâmetro. Balança com duplo amortecimento com 60 mm de curso na traseira, que ficam instalados sob a Spyder -- similar ao utilizado em alguns modelos Harley-Davidson -- e freio a disco também de 240 mm de duplo pistão.
O conjunto de suspensão da MVK apresenta-se mais macio do que nas customs tradicionais, devido, inclusive, ao ângulo de seu cáster, que é, digamos, um tanto avançado. Porém, quanto mais rigidez for aplicada à suspensão dianteira, mais suscetível a torções as bengalas estarão.
----------------------------------------------------


Seus pneus são  Pirelli MT 66, nas medidas 80/90-21 (dianteiro) e 160/80-16 (traseiro): pneus de qualidade refletem em maior equilíbrio e melhor dirigibilidade, além de auxiliarem o conjunto de suspensão.

Aparência

A MVK Spyder é um tipo de moto que nem todo mundo gosta: garfo adiantado demais, muitos cromados, pintura do tipo "chamas", baixa altura do assento (66 cm do solo), mas é uma motocicleta que emana um ar exótico e, ao mesmo tempo, clássico. Seu painel de instrumentos é composto pelo velocímetro, por hodômetros total e parcial, além das lâmpadas indicativas. Com tanque com capacidade para 12,5 litros, a Spyder pode fazer até 23 km/l, o que lhe dá uma autonomia considerável (cerca de 280 km).

---------------------------------------------------
Detalhe: velocímetro no tanque, contando com odõmetro e lâmpadas indicativas.



Mais potência em 2010

A MVK promete trazer ao mercado, ainda esse ano, o novo modelo com 300 cc e 22,8 cv de potência máxima. Ela poderá ser, inclusive, fabricada no Brasil, diretamente na unidade amazonense da MVK, que passa a funcionar ainda este ano.
Preço médio: R$ 15.580,00

------------------------------------------------------------
Detalhe: o Sissy-Bar, o encosto para o passageiro, é original de fábrica.



Fonte: http://www.mvkmotos.com.br/ver_produto.asp?id=5

A nova Sportster 1200, da Harley

Fotos: Divulgação
Está para ser lançada nos EUA, pelo módico preço de US$ 10 mil, a nova Sportster Forty-Eight, da Harley-Davidson, vem com visual mais radical, cru, com pneus mais largos e tanque com o formato "peanut" (amendoin). Seu motor, no entanto, é o mesmo Evolution 1200 cc, com tecnologia utilizada em outros modelos da marca norte-americana.
--------------------------------------------------------------
Inspirada nas hot-rod, a nova Sportster 48 veio com um visual reformado e mais agressivo.



A linha Sportster existe desde meados de 1957, quando a Harley decidiu investir em modelos mais baratos e acessíveis. Tanto que a moto é uma das poucas da marca que fogem ao padrão "estradeiro", aplicado nos demais modelos. De qualquer forma, é uma moto pronta para ser modificada ao estilo do dono.
As motos da linha Sportster (tanto a 883 como a 1200 cc) têm inspiração nos hot-rod das décadas de 30 e 40, que eram veículos esportivos que possuíam rodas mais largas. A nova Sportster 48 1200 cc traz um pneu de 130 mm na dianteira e de 150 mm na traseira. Para reforçar o visual clássico, seus paralamas ficaram mais curtos que os usados nos outros modelos da linha.
E, para se classificar na categoria "low-ride" (motos mais baixas, onde a distância entre o assento e o solo está abaixo de 1 metro, e pouco acima dos 10 cm entre o solo e o chassi), a Harley-Davidson rebaixou as suspensões dianteira e traseira da Sportster 2010.
-------------------------------------------------------------
Mantendo o estilo low-ride, a Sportster 48 1200 cc vem com seu motor originalmente preto.



Entretanto, a nova Sportster 48 não agrada no quesito "autonomia". Levando-se em conta o fato de seu motor consumir algo em torno 1 litro a cada 15 ou 16 km, mais a capacidade do tanque, que é de 8 litros, ela não conseguiria ultrapassar 150 quilômetros sem entrar em um posto de combustíveis. Se, nos Estados Unidos, isso não é problema, para nós, no Brasil, acarretaria, com certeza, em empurrões de Sportsters por diversas rodovias tupiniquins. Há lugares nesse país que você roda mais de 150 km sem ver uma bomba de gasolina. E, quando acha, o mesmo combustível deve vir com 20% de água e 50% de álcool e outras misturas. Vergonhoso, mas é real. Sem sombra de dúvida, é uma motocicleta desenvolvida mais para o tráfego urbano. Quando o modelo desembarcar no Brasil (estima-se que somente no final de 2010 ou início de 2011), com certeza, terão que repensar na capacidade do tanque, pelo menos, para 12 litros.
-----------------------------------------------------------
Detalhe: os retrovisores vêm instalados abaixo da linha das manetes.



No início desse post, vimos que o preço dela, nos EUA, será de US$ 10 mil, ou cerca de R$ 20 mil. Porém, amigos motociclistas, não nos esqueçamos das (absurdas e inexplicáveis) taxas cobradas na importação que, normalmente, dobram o valor do bem: ou seja, por aqui, teremos a Sportster 48 pairando na faixa dos 36 a 40 mil reais, tranquilamente.
No mais, é aguardar o novo modelo e rezar para que ela seja adaptado às nossas estradas e distâncias entre postos.
----------------------------------------------------------
Os largos pneus são características marcantes na nova Sportster 48.
Atenção no recorte do paralamas dianteiro.