terça-feira, 18 de outubro de 2011

Dyna Switchback, a "duas-em-uma" da Harley Davidson

Uma das novidades da Harley Davidson para 2012 é a Dyna Switchback, que vem preparada para uso urbano diário e também para suas viagens. Em instantes, ela se transforma em uma touring, apenas encaixando suas malas laterais facilmente e instalando seu parabrisas. O processo inverso é também facilitado devido aos tipos de encaixe.

Diferente dos Estados Unidos, onde o motor será o Twin Cam 103, no Brasil ela virá equipada com o Twin Cam 96, mais adaptável ao chão e estilo tupiniquins. Mas, com as mesmas 1600 cc. A diferença entre esses motores, de fato, é que o primeiro é equipado com injeção de combustível sequencial Porto Eletrônica (ESPFI), e é acoplado a uma transmissão de 6 velocidades Cruiser Driver, com capacidede de 1690cc a 3500 RPM. Este motor é, aproximadamente, 6% mais dinâmico do que seu anterior, o Twin Cam 96. Independente disso, nossos motociclistas terão uma máquina cuja assinatura não deixa nehuma sombra de dúvida: é uma máquina! 
É falado que toda a linha Dyna 2012 virá equipada com freios ABS, porém, lá fora, será um item opcional. No Brasil, segundo giram as informações, esse poderá ser um item de fábrica. O que é muito bom, haja vista a queda do dólar e o cada vez mais movimentado mercado de Harleys no Brasil. Suas máquinas têm conquistado corações de diferentes gerações, por aqui, desde os iniciantes no motociclismo, até - e principalmente - os veteranos.
Rodas de liga leve compõem um novo visual na moto, deixando-a, ao mesmo tempo, com cara de moto para lazer e dando-lhe um certo ar de esportividade. O alvo são os pilotos mais jovens, que amam mais a velocidade do que o estilo clássico de pilotar uma HD.
A nova Dyna pode ser vista no salão de São Paulo e ainda não foi divulgado seu preço. O jeito é aguardar mais um pouco.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Suzuki GSR 150i 2012: estilo único e dinamismo

A Suzuki pretende angariar mais um bom naco da fatia no mercado das pequenas cilindradas. Neste segundo semestre, ela colocou nas lojas a nova GSR 150i, uma moto com design bem cuidado, linhas fortes e inovadoras, sem deixar de lado a tecnologia empregada.


A GSR 150i possui 6 marchas, sendo, até agora, a única em sua categoria. Isso proporciona maior conforto nas finais e, claro, mais economia. Na cidade, raramente, será necessário usar essa marcha, a não ser em vias mais longas. O motor é OHC, de um cilindro e quatro tempos, com eixo balanceador compacto e leve, e graças à eficiência da combustão avançada e eficaz, a GSR150i é mostra-se muito eficiente nessa classe de motocicleta, tornando mais fácil desfrutar da potência e aceleração. Esse novo motor propicia melhor eficiência de combustão, e combustão completa é a chave para uma melhor resposta a aceleração, reduzindo consumo de combustível, bem como a redução das emissões.


No quesito design, a GSR 150i vem com um moderno desenho lateral, na rabeta e lanterna traseira. Seu bagageiro é uma peça única, maciça, de alumínio na cor prata.
Baseada na mesma tecnologia aplicada as motos de grande cilindrada Suzuki, a GSR 150i possui painel de instrumentos acionado eletronicamente sem a utilização de cabos, luz indicadora de falha e diagnose do sistema de injeção de combustível no painel (FI).

No quesito tecnologia, a GSR 150i esbanja qualidades: seu sistema de injeção eletrônica alimenta o poderoso motor de 150cm³, que garante uma suavidade de torque e aceleração com inigualável resposta do acelerador.

O sistema de eixo balanceador do motor, que minimiza a vibração e produz menor ruído, equilibrando melhor potência, torque e aceleração da moto, resultando em maior conforto nas viagens mais longas e economia de combustível.


O sistema de amortecimento traseiro é formado por dois amortecedores hidráulicos e pressurizados a gás, a mesma tecnologia das superesportivas Suzuki, agora com câmara de expansão de óleo externa. Os amortecedores traseiros são equipados com sistema de ajuste rápido de pré-carga da mola, com a facilidade e praticidade do acionamento manual, sem a utilização de ferramentas, e oferecem o mesmo requinte de conforto de algumas motos de grande cilindrada permitindo um rápido e fácil ajuste, como logo após a descida de um passageiro, tornando a suspensão suave ou vice-versa. Isso melhora o desempenho ciclístico completo da moto em todas as situações, com ou sem passageiro, designada a reagir a pequenos solavancos assim como a maiores impactos nas estradas.

Originalmente equipada com cavalete central, que oferece maior estabilidade para a moto quando a mesma estiver em repouso em linha plana, além de facilitar a manutenção com o lubrificante da corrente. É muito útil para trocas de pneus, na lubrificação da corrente e em outros serviços de oficina.

Seu sistema de freio dianteiro, com disco ventilado mordido por pinça deslizante de dois pistões de acionamento hidráulico, garante uma frenagem rápida e segura, enquanto que, o freio traseiro a tambor é equipado com sapatas expansoras de alta eficiência.
 Originalmente equipada com partida elétrica, para oferecer ao piloto praticidade e conforto. O módulo de controle do motor computadorizado controla a gestão poderosa e sofisticada do sistema de injeção eletrônica de combustível, ignição e sistema de redução de emissões de gases poluentes.


E, ainda, o sensor de acionamento de embreagem interligado ao sistema de partida gera maior segurança, não permitindo dar a partida no motor com a moto engrenada.
Entre outras novidades, essa pequena notável ainda possui:
·          Espelhos retrovisores cromados, seguindo o design da linha Suzuki B-King.
·          Peso de guidão cromados.
·          Setas com lentes de cristal e lâmpada âmbar.
·          Tampa do Bocal de abastecimento fixa e articulada, feita em alumínio como nas motos superesportivas Suzuki.
·          Travas para capacete sob o banco.
·          Rodas de liga leve com desenho inovador, que dispensam manutenção e pneus sem câmara.
·          Motor com proteção do cabeçote cromado.
·          PEDALEIRA DO PILOTO retrátil em alumínio e SUPORTE DE PEDALEIRA PARA PASSAGEIRO TAMBÉM EM ALUMÍNIO.
·          DISPLAY DO PAINEL EM LCD digital com brilho indica Hodômetro total e parcial zerável, e indicador de marcha, permitindo fácil leitura ao piloto.

O preço sugerido é de R$ 6.829,00.

Ficha Técnica
Motor
4 tempos, 1 cilindro, 2 válvulas, OHC, refrigeração a ar e sistema de eixo balanceado
Cilindrada
149,5 cm³
Diâmetro x Curso
57,0 x 58,6 mm
Taxa de Compressão
9,1:1
Transmissão
6 velocidades
Sistema de Transmissão
Corrente
Sistema de Lubrificação
Cárter Úmido
Alimentação
Injeção eletrônica
Tipo de Ignição
Eletrônica
Sistema de Partida
Elétrica
Comprimento Total
2.055 mm
Largura Total
730 mm
Altura Total
1.090 mm
Dist. Mínima entre Eixos
1.270 mm
Distância do Solo
165 mm
Altura do Assento
730 mm
*MVOM
132 Kg
Suspensão Dianteira
Telescópica amortecimento hidráulico, mola helicoidal.
Suspensão Traseira
Balança articulada,com amortecedores hidráulicos/pressurizado a gás, mola helicoidal, com ajuste de pré-carga da mola.
Freio Dianteiro
Disco
Freio Traseiro
Tambor
Pneu Dianteiro
2.75-18 M/C 42P, sem câmara
Pneu Traseiro
90/90-18 M/C 57P, sem câmara
Tanque de Combustível
14 litros
Óleo do Motor
1100 ml (com troca de filtro)


Potência Máxima
12 hp (métrico) a 8.000 rpm
Torque Máximo
1,08 kgf.m a 6.000 rpm
Cores
Preta - Amarela - Prata - Vermelha

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Dafra une-se à MV Agusta e à coreana Daelim

Em pouco tempo de atuação no mercado de duas rodas (o início da operação aconteceu em 2008), a Dafra Motos impôs um estilo arrojado de gerir seu negócio, pensando em produtos globais e fazendo diversas parcerias internacionais -- com a chinesa Haojue, a indiana TVS e a taiwanesa SYM. Agora no Salão Duas Rodas 2011, a empresa aproveitou para consolidar a parceria com a italiana MV Agusta e anunciar a coreana Daelim como nova aliada.
No caso da MV Agusta, a empresa brasileira montará no Pólo Industrial de Manaus, em sistema CKD (no qual a empresa matriz produz a peça em sua fábrica de origem e a exporta para a empresa que montará os veículos e a representará comercialmente em outro país), a superesportiva F4 1000 e as novas naked Brutale 1090R e 1090RR da marca italiana. Além disso, a Dafra será a representante da marca e nomeará os concessionários para o mercado interno.
Segundo Creso Franco, presidente da Dafra Motos, até dezembro serão abertas sete concessionárias MV Agusta em todo o Brasil. Quanto aos preços dos novos modelos, Franco fez mistério: "Na quarta, 5 de outubro, teremos uma entrevista com representantes da fábrica italiana. Só posso adiantar que os valores dos modelos vão ficar entre R$ 58.000 e R$ 65.000".

ESPORTIVA DE 250CC
Já a parceria com a coreana Daelim será de co-brand, como já ocorre com SYM e Haojue: os modelos Citycom 300i e Smart 125 saem com a marca das duas empresas. O primeiro fruto da parceria Dafra-Daelim será uma pequena esportiva de 250cc, a Roadwin 250R. De acordo com a Dafra, foram feitos exaustivos testes para adaptar o modelo às necessidades dos motociclistas brasileiros.

Equipada com motor de um cilindro, 249 cm³, duplo comando de válvulas no cabeçote (DOHC), refrigeração líquida e injeção eletrônica, a Roadwin 250R vem brigar com Kasinski Comet 250, Kawasaki Ninja 250R e a futura Honda CBR 250R, lançada neste salão.
Dotada de uma carenagem integral e conjunto óptico duplo, a Roadwin 250R aposta num visual bastante esportivo, porém o desempenho não acompanha. Capaz de oferecer 24 cavalos de potência máxima a 9.000 rpm, a 250cc pode chegar a 130 km/h, segundo informações da Dafra. A moto ainda conta com garfo telescópico convencional, na dianteira, e balança monoamortecida na traseira, além de freio a disco em ambas as rodas.

"Somos especializados em motos de 150cc, mas queremos crescer e atrair mais usuários para o universo de duas rodas. Com a Roadwin e os outros lançamentos queremos ampliar nossa participação, mas também conquistar novos motociclistas", afirmou Creso Franco, referindo-se a street Riva 150cc e a naked Next 250cc, outros dois lançamentos da Dafra no Salão Duas Rodas 2011.
A Dafra Roadwin 250R, entretanto, só deverá chegar às concessionárias da marca em fevereiro do próximo ano, nas cores vermelha e branca. O preço ainda não foi definido, mas os revendedores apostam em valores entre R$ 12.000 e R$ 15.000.
 

----------------------------------------------
Fonte: Infomoto e http://carros.uol.com.br