sexta-feira, 20 de julho de 2012

Windhoff Four 746cc: máquina rara

Raridade no museu
Fabricada em 1928, pela companhia alemã Windhoff, a Windhoff Four foi uma moto que, à época de seu lançamento, já era considerada uma inovação tecnológica, inovadora, com seus 4 cilindros. Ela havia sido apresentada no Berlin Show, no ano anterior. O exemplar visto nas fotos deste post foi adquirido recentemente, em um leilão da Bonhams Stafford, por nada menos que 130.000 libras, ou algo em torno de 200 mil dólares! Hoje, ela se encontra com um de seus donos (foi arrematada por três sócios-compradores), e faz parte de seu museu particular, na Inglaterra.

A Companhia
Fundada em 1889 pelos irmãos Windhoff, a empresa era sediada em Berlim. Antes de introduzir sua primeira motocicleta, em 1924, era um fabricante bem sucedido de radiadores para aviões e automóveis. As primeiras motocicletas de Windhoff, com modelos 500cc e maiores, caracterizaram-se por seus motores de dois tempos, refrigerados a líquido, os quais contavam com uma bomba para isso. A companhia já não fabrica motocicletas desde 1933, seis anos antes do início da II Guerra, época, inclusive, em que uma de suas fábricas foi completamente destruída por uma bomba, em outubro de 1944. Já naquela época, a Windhoff fabricava locomotivas, ramo no qual ela está até os dias de hoje.
Motor da Windhoff: 746 cc, 289 cavalos. Força bruta em 1928


A Moto
A Windhoff Four contava com um motor de 746 cc, apesar de ser uma motocicleta de segunda linha da empresa. Ela foi desenhada por Ing. Dauben, um engenheiro que viria, depois, trabalhar na Mercedez-Benz. A moto trazia outra novidade, que eram os dutos de óleo internos, ou seja, eles não ficavam visíveis, como era comum em modelos daquela época. O que mais chamava a atenção de quem a pilotava, era o conforto, a leveza com que ela "deslizava" pelas ruas, especialmente, em baixa velocidade. Ela gerava algo como 289,4 cv (ou 22bHp) a 4.000 rpm - se fôssemos fazer uma analogia humana, seria como gastar
185.562.341,4 calorias em apenas 1 hora! Tem gente que iria adorar...
Mas, a moto não foi tão bem nas vendas, não pela sua inovação, mas devido à sua tecnologia tê-la deixado tão cara. Poucos a compraram, muito menos, ainda, sobraram no mundo.






No tanque, o velocímetro. À direita, o detalhe do farol e da buzina
da Windhoff.

Nenhum comentário: