domingo, 12 de novembro de 2017

Minha Moto Não Pega... Principalmente, de Manhã. Que faço? Parte I

Alô, galera de motocicleta, alô galera de vento na cara!!

Esse post é pra tirar algumas dúvidas e trazer algumas dicas pra você, que fica p... da vida quando a motoca não pega pela manhã... E você, quase atrasado para o trabalho!

Caso 1:


- Você tentou, tentou, tentou e a moto não pegou. Isso acontece muito com motores ainda não motor esteja afogado.
amaciados, também, não é só os já bastante rodados (antes que alguém coloque a culpa na idade da moto). Se há combustível suficiente no tanque, pode ser que

O que fazer?


Com o motor desligado, mesmo, primeiro você puxa o acelerador até o fim do cabo e o segura por alguns segundos. Em seguida, solte quase todo o acelerador, mantendo-o só um pouquinho puxado, e tente a partida novamente. Se ela começar a pegar, não puxe o acelerador repentinamente, faça isso aos poucos, até que o combustível tenha seu fluxo normalizado.

Partidas a frio podem trazer certo desconforto, mas há solução.
E o afogador da moto? Serve pra isso também?

Sim, claro. O afogador da moto é usado justamente para ajudar nas partidas a frio do motor. Puxe ou levante o afogador; dê a partida, sem contudo insistir. Se a moto não pegar, desative o afogador, ative-o novamente e dê outra partida. Assim que o motor der sinal de vida, volte o afogador para sua posição "off" e acelere o motor com calma. Mantenha-o por cerca de 1 minuto ligado, até que o óleo possa circular por todos os compartimentos e frestas.

Aliás, com o motor frio, é altamente recomendado que mantenha a moto funcionando um tempinho, antes de sair, ok? Quer diminuir a vida útil do motor, é ligar a moto e já sair feito doido. Isso é válido para carros, ônibus, caminhões, barcos, lanchas, jet skis...

Ah, o afogador pode estar presente em diferentes locais, dependendo da moto e modelo; e pode não estar, como é o caso de motocicletas mais recentes.







O que afoga o motor da moto? Água????


kkkkkkkkkkkk NÃO! Água enferruja várias partes, mas não é o que afoga o motor. O que faz o motor afogar é o excesso de combustível que é jorrado para dentro do carburador (dizem que motores com injeção não afoga, mas isso pode ser um mito, ok?). E isso acontece por vários motivos, e um deles, é você acelerar a motocicleta (ou alguém com aquela mania feia que tem de chegar perto de uma moto e ficar acelerando sem parar e sem qualquer necessidade) com ela parada e desligada.

Caso 2:


- Você tentou dar a partida e, logo na primeira vez, o motor deu sinais de fraqueza, isto é, parece que vai ligar, mas acaba "desistindo". Isso pode ser bateria descarregada ou com carga baixa.

Uma das coisas que você pode fazer, evidentemente, é empurrar a moto e tentar fazê-la funcionar no tranco, isto é, enquanto ela estiver no embalo, você engata a 2ª marcha e solta a embreagem, o que fará o motor "trancar" e, talvez, funcionar. Só que esse procedimento já mostrou que não faz muito bem para o motor, especialmente, os motores mais moderninhos. Uma hora, pode levar consigo alguma peça interna mais sensível.

O correto, mesmo, é você ter um cabo para transmissão de carga, ou o famoso "cabo de chupetinha", e fazer a conexão de sua bateria com outra carregada. Ah, e falar nisso, apesar de muita gente fazê-lo, não é aconselhável carregar a bateria de uma moto "chupando" a carga da bateria de um carro, ok? Isso, devido a alta amperagem da bateria de automóveis (cerca de 400 amperes). Pode não queimar a sua bateria de cara, mas por ser uma carga muito rápida, poderá
Fazer a moto pegar no tranco, só neste caso...
danificá-la com o uso.

Então,  que devo fazer, realmente? 


Ter um carregador específico em casa, sem dúvida, é a melhor saída. É barato e você garante a vida útil da bateria de sua moto. Sem falar que, nas horas mais inesperadas, é que as coisas acontecem. E um "velho deitado" diz que "1 homem prevenido vale por 10", o que é verdade.

Depois, posto mais! Valeu e motoabraço!



quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Niken, a moto de 3 rodas da Yamaha

Fala aí, galera motociclista! 

Esta matéria tem uma novidade: ela tem versão em vídeo, também, no Youtube. O link encontra-se no final do artigo, se preferir assistir, ao invés de ler, é só clicar. 


A Yamaha parece querer antecipar o futuro, com o lançamento da motocicleta que poderia estar nas cenas de Blade Runner: a Niken, a primeira alta cilindrada de três rodas do mundo.




Antes, tal modelo foi apresentado em scooters, começando com a Piaggio, na Itália. Depois, veio a Yamaha Tricity, também uma scooter de 3 rodas. A Piaggio fez e ainda faz muito sucesso na Europa, devido ao seu conforto, beleza e praticidade.

Agora, com o lançamento da Niken, revelada no Salão de Toquio 2017, a Yamaha aposta em um mercado, podemos dizer, elitizado, que vem aumentando gradativamente. 

Em relação aos dados técnicos da moto, ela possui um motor de 847 cc, derivado da MT-09, refrigerada a líquido, cabeçotes DOHC, 3 cilindros em linha e 12 válvulas. Oferece 6 marchas e sua transmissão é por corrente. 

A moto promete mais estabilidade e segurança, segundo o fabricante, ainda mantendo a inclinação desejada e necessária nas curvas. Isso é o que difere a Niken dos triciclos, por exemplo, que não possuem inclinação. Isso em termos técnicos, já que a moto é bem diferente de um trike, a começar pela distância entre as rodas dianteiras, que é menor na Niken. 




Entre outros mimos, a Niken já sai de fábrica com seletor de modo de pilotagem D-Mode System, desenvolvido pela Yamaha, que permite ao piloto escolher o comportamento do motor de acordo com a ocasião ou local onde está pilotando. A Niken inclui um sistema de controle de cruzeiro, denominado YCC-T, que oferece ao piloto selecionar ou ajustar um parâmetro de velocidade de cruzeiro em viagens mais longas, tornando-as mais confortáveis possível. Isso, sem nos esquecermos que estamos falando de uma moto de 3 rodas.

Seu painel de instrumentos é hightech e conta com um display LCD de alto-contraste, que oferece uma visão clara das informações, como: velocímetro, odômetro, controle de tração e D-Mode, combustível, autonomia e outras informações.

Por enquanto, a Yamaha só está recebendo cadastros de propensos compradores, o que pode ser feito por meio do site da empresa. Nas lojas - e isso não quer dizer no Brasil - ela só estará disponível a partir do segundo semestre de 2018. Para os mais apaixonados, o jeito, meu amigo, é ficar ao lado de Jó, servindo-se de um chá de paciência. 






Link para o vídeo:




segunda-feira, 2 de outubro de 2017

KAWASAKI VERSYS 300 VAI MEXER COM O MERCADO DAS MÉDIAS

Prevista para lançamento ainda na segunda quinzena de Setembro deste ano, a nova Versys, da Kawasaki, chega para abocanhar um naco do mercado das off-roads de média cilindrada, ou seja, na faixa das 300 cilindradas.


Ela foi produzida a partir da Z300 e da Ninjinha e, apesar do visual trail, difere-se de suas irmãs maiores (as Versys 650 e 1000), além do motor, nos pneus - nestas duas últimas, as rodas são de 17", enquanto que a de 300 cc utiliza Pirelli MT-60, de 19" e sulcos maiores.

O motor da nova Versys é de 2 cilindros paralelos, 4 tempos e 296 cc, com performance melhor nas altas do que nas baixas velocidades. Produz 40 cv a 11.500 rpm e 2,6 kgf.m a 10.000 rpm. Seus garfos possuem 41 mm de diâmetro e curso de suspensão de 130 mm e 148 mm.

O motor de 296 cc oferece um suave desempenho em baixas e
médias rotações e uma poderosa aceleração em altas rotações.

Aqui em terras tupiniquins, serão três versões: Versys-X 300 Tourer ABS (a versão mais top); Versys-X 300 ABS e Versys-X 300, e nas cores: verde, preta, ou laranja e cinza.Poderão vir equipadas com faróis auxiliares de LED montados no protetor do motor (como na versão maior), tomada de 12V no painel, protetores de mãos, cavalete central e malas laterais com capacidade para 17 litros cada. Não há valores informados ainda, mas há rumores que alcance os 23 mil "Temers".

A moto, pelo menos, é muito bonita, competitiva, e vai dar trabalho para a concorrência.








KTM DUKE 390 MAIS BARATA EM OUTUBRO

Olá, motors!

Num Brasil endividado e cheio de maracutaias políticas e empresariais, uma notícia dessas parece até brincadeira, não?
Pois, sim, a KTM Brasil está fazendo uma ótima promoção para os fãs de suas nakeds. Na tabela, está a Duke 390, uma moto enxuta, com motor de 373,2 cm3, potência de 44 cv, duplo comando, 4 válvulas e refrigeração líquida.
A promoção vem direto da fábrica e será aplicada a apenas 50 unidades da moto (a primeira má notícia é só essa). A segunda é que nem todas as concessionárias participarão da promoção. Para saber mais sobre elas, visite o site da marca.
O preço normal da Duke 390, sugerido pela KTM, é de R$ 21.990,00, mas com a promoção, ele cai para R$ 19.990,00 - portanto, 2 mil reais a menos. Se você é fã da marca, é melhor se apressar, hein?

Motoabraço!




sexta-feira, 8 de setembro de 2017

DUCATTI SCRAMBLER: PEQUENA NERVOSINHA

Olá, motors!!

Certamente, todos já ouviram falar da marca italiana Ducati e, provavelmente, a vinculam àquelas "monsters" que ela fabrica. Com certeza, grandes motos e motores! Mas, alguém aqui já conheceu a Scrambler 800? Se não, pensem numa pequena nervosinha...
Pois é, com seu motor bicilíndrico em L, de 803 cc e força de 75 cv, essa garotinha atinge cerca de 208 km/h (devido ao limitador que vem nela) e tem uma aderência incrível, oferecendo maneabilidade com maior segurança possível.
A Scrambler é apresentada em 6 versões: Desert Sled, Café Racer, Sixty 2, Icon, Classic e Full Throttle, o que demonstra sua versatilidade desde o momento da concepção de seus modelos. No Brasil, a primeira a embarcar foi a Icon, seguida pela Classic. As demais ainda estão por vir, de acordo com a aceitação do mercado.
Todas elas compartilham as mesmas características mecânicas, contudo, as diferenças recaem sobre suspensões, tipos de pneus, design dos escapes, entre outros detalhes, além dos estilos.

Fig. 1. Ducati Scrambler Full Throtle



Customização

A Scrambler já é uma moto customizada por si só. Mas, cada modelo possui acessórios e possibilidades diferentes de customização. Ao customizar uma motocicleta, o proprietário está dando um toque pessoal a ela, como que dizendo: "esta foi feita pra mim!", ou adaptando-a às exigências do terreno, por exemplo.


Fig. 3. Uma Scrambler customizada.

Ducatti Scrambler Classic

Esta versão é para quem valoriza os detalhes e o estilo dos anos 1970, sem comprometer o prazer de pilotar e a funcionalidade de uma motocicleta moderna. Seus detalhes são exclusivos e refinados, como a frente de alumínio e para-lamas traseiros, as rodas raiadas e o banco marrom com inserções em formato de diamante. Nas cores Laranja Sunshine e Sugar White.


Fig. 4. Lado direito da Classic



Fig. 5. Lado esquerdo da Classic

Ducatti Scrambler Full Throttle

Versão inspirada no universo Flat Track*, com fortes referências às motocicletas de corrida em pistas ovais, ela vem equipada com escape Termignoni, especialmente desenhado para competições, mas homologado para uso em estradas; banco projetado para corridas e guidão baixo de seção variável. Moto perfeita para uso urbano, porém, com as características competitivas.


Fig. 7. Lado direito da Full Throttle






Ducatti Scrambler Icon

A Scrambler Icon caracteriza-se por sua confortável posição de pilotagem; pelo tanque em aço no formato "teardrop", com painéis laterais de alumínio intercambiáveis; guidão amplo, farol com lente de vidro e luz-guia de LED e rodas Dual Sport. A altura de 790 mm do banco garante conforto para o piloto e o passageiro.  O acabamento dos protetores da correia em alumínio, o protetor térmico e a borda intercambiável do característico painel de instrumentos de LCD enriquecem o estilo da moto. Disponível em 3 cores: Amarelo '62, Vermelho Ducati, Silver Ice.


Fig. 9. A Icon vista pela direita.

Fig. 10. Icon vista pela esquerda.

Fig. 9. Traseira esquerda da Icon


Ducatti Scrambler Urban Enduro

A versão Urban Enduro é a companheira ideal para superar obstáculos urbanos com agilidade, mas também para chegar a novos lugares percorrendo caminhos menos explorados. O banco marrom com sulcos, forrado com tecidos técnicos, oferece conforto ergonômico de primeira classe. Os protetores do garfo, o protetor do reservatório de óleo do motor e a grade do farol protegem as partes essenciais da motocicleta em seções off-road, ao passo que a barra transversal enrijece o amplo guidão. Outras referências ao mundo off-road incluem o para-lamas alto em fibra plástica e as rodas raiadas. Na cor Verde Selvagem.






Preços


Falar de valor - de qualquer coisa - no Brasil, parece até piada, não é? E altos valores agregados a motocicletas é o que não faltam. Com as Scramblers isso também não é diferente.
Vamos lá: a partir de R$ 38.900,00, modelo Icon. Não é uma moto tão barata, como também, pelo fator custo x benefício, não é das mais caras. 

domingo, 3 de setembro de 2017

As Dez Motos Mais Estranhas do Mundo

Olá, galera, desculpem-me pelo sumiço - outros afazeres têm tomado bastante meu tempo.

Este post tem um caráter bem mais curioso do que técnico. Aliás, não falaremos sobre esse ponto, agora.

Criatividade é uma das características mais marcantes do homem moderno, e ela pode ser conferida em diferentes âmbitos da vida, sejam profissionais, científicos, ou de quaisquer outras áreas. No motociclismo, isso não poderia ser diferente. Vemos, inclusive, muita criatividade nas choppers e em outros estilos de motos modificadas. Mas, o que temos aqui é diferente. Vai além dos padrões. Confira algumas das motos mais estranhas do mundo!


1. Sidecar Drumkit, ou Moto-Bateria


[crédito]

Evidentemente, trata-se de um trabalho artístico, feito por vários profissionais, que usaram uma BMW especialmente preparada para receber todo esse aparato. E mais: ela anda normalmente e a bateria pode, sim, ser tocada. Louca, não?

[crédito]


Esta obra de arte foi publicada em uma página do Facebook chamada The Drummer’s Database, a qual não estava disponível, no momento dessa postagem.
Os russos também têm a sua versão, e não perde, em termos que funcionalidade/motor/beleza.


[crédito]



2. Fury Road, o melhor estilo Mad Max

São motocicletas especialmente desenvolvidas para aventuras no deserto escaldante ou, no mínimo, nas dunas de alguma praia nordestina. Elas foram completamente inspiradas na franquia Mad Max, e só não fazem o que fazem no filme, porque ainda não chegamos no Apocalipse. A construção dessas motos é uma espécie de vale-tudo da customização pesada.

[crédito]

[crédito]


3. Motoshoes, ou Moto-Sapato

Bom, tem doido pra tudo nesse mundo, mesmo! E isso pode ser visto num campeonato anual de "coisas estranhas" que rola nos EUA. Em uma das competições, eis que aparece esse triciclo-sapato-de-salto-alto-motorizado, que deve ter dado trabalho aos jurados.

[crédito]


4. Moto Esqueleto

Essa já é bastante conhecida. Também desenvolvida para apresentações em feiras, foi montada manualmente e exigiu uma equipe bastante dedicada, além de vários dias e noites de trabalho.

[crédito]


5. Monster Moto

Essas imagens também já rodaram muito pela Web, como um fato realmente curioso. Uma das maiores motocicletas - se é que podemos chamá-la assim - do mundo, serve para apresentações do tipo "destroy car", e ela realmente consegue tal proeza. Coisa de americano.

[crédito]

[crédito]

6. Motoski


Sim, trata-se de uma motocicleta customizada de forma a lembrar um... jetski! E funciona? Claro! Veja que o proprietário encontra-se numa via urbana.


[crédito]


7. Monocycles



Da esquisitice - e, teoricamente, da impossibilidade de parar "em pé" - para o mercado, o monociclo é um tipo de veículo bastante procurado pelos mais aventureiros e/ou excêntricos. Um dos mais famosos nos EUA é fabricado por Kerry McLean, que protagonizou um dos piores acidentes já vistos com esse tipo de veículos. Deve-se levar um tempinho, até acostumar-se com uma roda só.






O vídeo a seguir mostra o teste e o acidente ocorrido com McLean. Ele se machucou bastante, mas sobreviveu.




8. Anaconda



Isso não é uma moto comum, é uma Limotosine. Isso, uma moto-limousine! Bastante estranha, no início, e projetada por um motor de 1.600 cc - o motor que se vê na frente é falso, segundo o proprietário da Anaconda, Smokey McGill, de Nevada, EUA. A moto foi feita como resultado de um desafio dos amigos de McGill, que diziam ser impossível. A Harley Anaconda consegue carregar até 10 passageiros, incluindo o piloto. Vejam o vídeo de demonstração a seguir.






9. Barão Vermelho


Parece que as pessoas não se contentam e querem dar às suas motocicletas um "algo a mais", especialmente, quando a moto é propensa a customização. É o caso da Red Baron, uma motocicleta de origem alemã, cujo motor é uma perfeita adaptação de um radial aeronáutico - em suma, motor de avião. A Red Baron, que serviu de modelo para outros "aviões de estradas", possuía um motor radial Rotec R3600, de 150 HP e 9 cilindros.

[crédito]


10. Moto de Madeira


Cada louco com sua mania. Mas, sendo apaixonado por motos, tudo pode acontecer. Um loucão construiu uma moto feita de madeira e ferro-velho. Não consegui mais informações a respeito, sobre onde e quem a fez, mas, na minha opinião, trata-se da moto mais esquisita que já vi no mundo!

[crédito]