sexta-feira, 8 de setembro de 2017

DUCATTI SCRAMBLER: PEQUENA NERVOSINHA

Olá, motors!!

Certamente, todos já ouviram falar da marca italiana Ducati e, provavelmente, a vinculam àquelas "monsters" que ela fabrica. Com certeza, grandes motos e motores! Mas, alguém aqui já conheceu a Scrambler 800? Se não, pensem numa pequena nervosinha...
Pois é, com seu motor bicilíndrico em L, de 803 cc e força de 75 cv, essa garotinha atinge cerca de 208 km/h (devido ao limitador que vem nela) e tem uma aderência incrível, oferecendo maneabilidade com maior segurança possível.
A Scrambler é apresentada em 6 versões: Desert Sled, Café Racer, Sixty 2, Icon, Classic e Full Throttle, o que demonstra sua versatilidade desde o momento da concepção de seus modelos. No Brasil, a primeira a embarcar foi a Icon, seguida pela Classic. As demais ainda estão por vir, de acordo com a aceitação do mercado.
Todas elas compartilham as mesmas características mecânicas, contudo, as diferenças recaem sobre suspensões, tipos de pneus, design dos escapes, entre outros detalhes, além dos estilos.

Fig. 1. Ducati Scrambler Full Throtle



Customização

A Scrambler já é uma moto customizada por si só. Mas, cada modelo possui acessórios e possibilidades diferentes de customização. Ao customizar uma motocicleta, o proprietário está dando um toque pessoal a ela, como que dizendo: "esta foi feita pra mim!", ou adaptando-a às exigências do terreno, por exemplo.


Fig. 3. Uma Scrambler customizada.

Ducatti Scrambler Classic

Esta versão é para quem valoriza os detalhes e o estilo dos anos 1970, sem comprometer o prazer de pilotar e a funcionalidade de uma motocicleta moderna. Seus detalhes são exclusivos e refinados, como a frente de alumínio e para-lamas traseiros, as rodas raiadas e o banco marrom com inserções em formato de diamante. Nas cores Laranja Sunshine e Sugar White.


Fig. 4. Lado direito da Classic



Fig. 5. Lado esquerdo da Classic

Ducatti Scrambler Full Throttle

Versão inspirada no universo Flat Track*, com fortes referências às motocicletas de corrida em pistas ovais, ela vem equipada com escape Termignoni, especialmente desenhado para competições, mas homologado para uso em estradas; banco projetado para corridas e guidão baixo de seção variável. Moto perfeita para uso urbano, porém, com as características competitivas.


Fig. 7. Lado direito da Full Throttle






Ducatti Scrambler Icon

A Scrambler Icon caracteriza-se por sua confortável posição de pilotagem; pelo tanque em aço no formato "teardrop", com painéis laterais de alumínio intercambiáveis; guidão amplo, farol com lente de vidro e luz-guia de LED e rodas Dual Sport. A altura de 790 mm do banco garante conforto para o piloto e o passageiro.  O acabamento dos protetores da correia em alumínio, o protetor térmico e a borda intercambiável do característico painel de instrumentos de LCD enriquecem o estilo da moto. Disponível em 3 cores: Amarelo '62, Vermelho Ducati, Silver Ice.


Fig. 9. A Icon vista pela direita.

Fig. 10. Icon vista pela esquerda.

Fig. 9. Traseira esquerda da Icon


Ducatti Scrambler Urban Enduro

A versão Urban Enduro é a companheira ideal para superar obstáculos urbanos com agilidade, mas também para chegar a novos lugares percorrendo caminhos menos explorados. O banco marrom com sulcos, forrado com tecidos técnicos, oferece conforto ergonômico de primeira classe. Os protetores do garfo, o protetor do reservatório de óleo do motor e a grade do farol protegem as partes essenciais da motocicleta em seções off-road, ao passo que a barra transversal enrijece o amplo guidão. Outras referências ao mundo off-road incluem o para-lamas alto em fibra plástica e as rodas raiadas. Na cor Verde Selvagem.






Preços


Falar de valor - de qualquer coisa - no Brasil, parece até piada, não é? E altos valores agregados a motocicletas é o que não faltam. Com as Scramblers isso também não é diferente.
Vamos lá: a partir de R$ 38.900,00, modelo Icon. Não é uma moto tão barata, como também, pelo fator custo x benefício, não é das mais caras. 

Um comentário:

Ryan disse...

Que motocicleta incrível! Parabéns pela matéria.