domingo, 14 de julho de 2013

Honda PCX 150: novo scooter da Honda

Em março de 2010, falei aqui no blog sobre o PCX 125i, o scooter da Honda, que não tinha ainda nem previsão para lançamento no Brasil. Mas, a Honda fez diferente, e trouxe para as terras tupiniquins a versão 150 desse scooter, que promete fazer muita gente abraçar sua causa.


Com preço sugerido de R$ 7.990, esse scooter foi feito para aquelas pessoas que desejam um modelo mais sofisticado e com design diferenciado. Além disso, o PCX é também dotado de tecnologia de ponta, como o "Idling Stop System", sistema este que desliga o motor automaticamente em paradas rápidas, religando-o rapidamente ao puxar o acelerador. Por exemplo, quando paramos num semáforo e, se o motor ficar por  alguns segundos em estado "ocioso", é desligado, ajudando, assim, na economia de combustível; para religá-lo, basta acelerar o PCX. Segundo os especialistas da marca, com isso, é possível economizar até 5,5% a mais de combustível.

Motor e Câmbio
O PCX conta com um motor de 150 cm3, arrefecido a líquido, com poder para gerar 13,6 cavalos a 8.500 rpm e torque máximo de 1,41 kgfm a 5.250 rpm. A alimentação se dá por injeção eletrônica, o que faz com que esse scooter atinja tranquilamente os 120 km/h.
Dotado de sistema de câmbio CVT (V-Matic), o PCX faz a troca de marchas automaticamente. Tem boa retomada de aceleração, o que facilita a vida do condutor nos trechos urbanos - aliás, este é o terreno ideal do PCX 150.
Freios
O PCX já utiliza o sistema CBS (Combined Brake System), da Honda, o qual aciona ambos os freios da moto de forma sincronizada. Assim, quando se usa, por exemplo, o freio dianteiro, um percentual é transmitido também para o freio traseiro, fazendo com que haja maior segurança na hora de parar.
Praticidade
O PCX 150 tem um comportamento em vias urbanas que, se fôssemos resumir em uma só palavra, poderíamos dizer "praticidade". Oferece bastante conforto, especialmente, por seu banco largo e posição de pilotagem. Ao carona, também, tal conforto é compartilhado.

Características técnicas

Motor    153cm3, OHC, monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a líquido
Potência máxima    13,6 cv a 8.500 rpm
Torque máximo    1,41 kgf.m a 5.250 rpm
Diâmetro X Curso    58,0 x 57,9 mm
Alimentação    Injeção eletrônica de combustível PGM-FI
Relação de compressão    10,6 : 1
Sistema de lubrificação    Forçada, por bomba trocoidal
Sistema de Ignição    Eletrônica
Bateria    12V – 6 Ah
Farol (ALTO/BAIXO)    35/30W
Sistema de partida    Elétrica
Capacidade do tanque    5,9 litros 
Óleo do motor    0,9 litro (0,8 litro para troca)
Transmissão  Automática, tipo CVT (V-Matic)
Embreagem   Automática centrífuga (tipo seco)
Suspesão dianteira    Garfo telescópico com 100 mm de curso
Supensão traseira    Duplo-amortecido com 85 mm de curso
Freio dianteiro    Disco de 220 mm de diâmetro com cáliper de pistão duplo
Freio traseiro    A tambor com 130 mm de diâmetro
Pneu dianteiro    90/90-14 
Pneu traseiro   100/90-14 
Chassi   Monobloco (underbone)
Altura do assento    760 mm
Altura mínima do solo    140 mm
Dimensões (C x L x A)    1.917 mm x 738 mm x 1.094 mm
Entre-eixos    1315 mm
Peso seco    124 kg

2 comentários:

Unknown disse...

Tenho uma PCX 2014. O problema dessa scooter, assim como a maioria delas, é que a suspensão é muito limitada, então qualquer imperfeição no pavimento é logo transmitido ao piloto, ou seja, a moto treme toda ao andar em uma rua de paralelepípedos por exemplo. Se pegar um buraco maior na estrada o risco de queda é muito elevado.

Motocicletas disse...

Achei muito bom seu post. a minha Honda PCX 150, é muito econimica e facil manutenção.