terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Pedágio para motos: 67% é contra

Pagar pedágio quando a motocicleta utiliza menos de 1% da rodovia é, realmente, algo que pode deixar o motociclista contrariado. Além da chatice de ter que parar, pegar o dinheiro na carteira, que está no bolso (se estiver sob chuva, mais trabalho, ainda, devido à indumentária toda), tira e coloca luvas, ainda há a questão: que tipo de dano a moto causa no asfalto? Bom, esse é meu ponto de vista, o qual compartilho com os 67% de leitores que responderam à enquete do Louco por Motos:

Cobrar Pedágio de Motos: você acha correto?

24% dos visitantes disseram que sim, mas desde que fosse mais barato. Mais barato já é, e se for mexer no valor, ou se coloca uma taxa simbólica (ainda assim, teria a chatice de parar e pegar o dinheiro), ou não se cobra nada.
7% responderam que somente as motos de alta cilindrada, o que cairia no mesmo em relação à própria cobrança. Isso, porque tais motos, mesmo que mais pesadas que uma CG, não danificam nem 0,01% a mais de asfalto que as de menor motor. Portanto, não mudaria nada e só prejudicaria quem possui moto de maior cilindrada.
1% diz que teria que ser no mesmo valor que os carros. Não irei nem comentar a respeito, ok?
Finalmente, o grupo onde me enquadro, 67% responderam “Você ficou louco, mermão?”. A cobrança de pedágios para motociclistas não deveria ser aplicada, como acontece na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, onde a passagem de duas rodas é livre (concessionárias Auto Vias e Autoban) – e olhe que esta é considerada uma das melhores rodovias do país!



Então, por que algumas concessionárias cobram?

A explicação para tal é que o número de motos tem crescido cada vez mais e, com a frota nacional aumentando a cada ano, maior movimento os motoqueiros têm dado às rodovias. Então, muitas concessionárias passaram a cobrar pedágios de motociclistas, de uns anos pra cá. E isso não deve mudar.
No entanto, projetos de lei tramitam na Câmara dos Deputados com a proposta de isentar os veículos de duas rodas de pagarem pedágios nas rodovias federais. São elas: PL 6753/06, da ex-deputada Laura Carneiro; e PL 1410/11, do dep. Washington Reis (PMD-RJ). Já nas estaduais, vai depender de acordos com os seus respectivos governos.

Já que é aplicada, que tal evitar transtornos?

Uma sugestão para as concessionárias de pedágio, em relação ao atendimento aos motociclistas em trânsito, é criarem cabines adequadas aos motociclistas, o que pode também agilizar o processo e não segurar tanto o trânsito, quando ocorrer casos como a hipótese citada no início deste post.
O 'Sem Parar' é também uma boa opção pra o motociclista. Evita que fique parando em toda praça e deixa o trânsito fluir.


E você? O que pensa a respeito? Deixa seu coment. Valeu. Motoabraço.

Nenhum comentário: